13 de out de 2013

Crítica: Bangerz - Miley Cyrus


Bangerz, o mais novo disco da cantora Miley Cyrus é mais do que podia se esperar, sim, o disco tem como base o hip-hop e o R&B, mas não deixa de explorar gêneros como country, soul, dubstep e electro-pop, uma verdadeira obra de arte musical e na minha opinião o melhor disco pop feminino de 2013... até agora.

A canção que abre o disco já até ganhou um post meu aqui, Adore You, uma balada romântica simples, porém linda, na canção Miley desempenha um vocal impecável. We Can't Stop, grande hit, abre a sessão de party songs do disco, com uma pegada hip-hop gostosa, a canção é mid-tempo e é produzida por Mike Will que também é co-produtor executivo do disco, e como em We Can't Stop, Miley assume a composição de SMS (Bangerz), dessa vez com vocais adicionais da cantora Britney Spears, e apesar de Miley dominar a canção, o fator que impressiona fica por conta de Britney, dá pra acreditar que está 100% natural? Nada de vocoder ou auto-tune.

É em 4X4 que percebemos como Miley é mais que uma ex-Disney, a canção mescla algo rap com um fundo country sensacional e Oh Darlin' é linda, a participação de Future só serve para embelezar a canção mais do que naturalmente seria com Miley apenas, Wrecking Ball, simplesmente o maior hit de Miley não fica atrás, uma balada bem produzida e triste que é muito mais que um single + clipe com cena de nudez, Love Money Party é viciante, #GETITRIGHT é revigorante, a boa qualidade da produção não impressiona, afinal, estamos falando de uma canção de Pharrel Williams.

Drive leva o disco de volta para uma atmosfera triste, a canção parece falar sobre uma pessoa que tem seus sentimos aproveitados por outro, e sofre com isso, ainda na vibe triste chegamos em FU, a canção relata o fim de uma relação, mas não com tristeza ou algo do tipo, sim ironia e ódio, ela tá ironizando-o e ridicularizando a si mesma por cair no jogo do cara, na canção ouvimos dubstep, Miley canta como uma diva do soul, a canção em geral soa como um soul adaptado a nossos tempos modernos.

Do My Thang é uma resposta para todos que reprovaram o novo estilo de Miley, Maybe You're Right lembra a antiga Miley e em meio a batidas R&B Someone Else fala sobre esfriar os sentimentos após passar por um traumatico fim de relacionamento.

Deluxe Edition Tracks: 

Enquanto Rooting For My Baby parece uma versão triste de canções da Colbie Caillait (escrevi certo?), On My Own e Hands in the Air terminam o disco mantendo uma linha divertida.

Miley Cyrus está com muitas surpresas em sua nova fase e todas muito boas, espero que a cantora se mantenha nesse caminho, eu realmente torço por seu sucesso.

Nota: 8,5.

Um comentário:

  1. Que interessante! Não sou muito fã da Miley, porém, vou fazer questão de conferir cada música do novo álbum.

    ACESSO PERMITIDO! :3
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir