26 de nov de 2013

Aquela tal imperfeição!


Já passava das três da manhã e Ana não conseguia dormir. Seu humor tava igual ao de uma onça quando alguém tenta pegar um dos seus filhotes e ela se sente ameaçada. Deu pra sentir o clima né? Depois desse breve relato, é compreensível que ela não conseguisse dormir, raiva e rancor, não são bem os tipos de que fazem você ter um sono digno dos anjos.

Na verdade, ela não queria adormecer, afinal, tantos pensamentos rodeavam sua cabeça a todo momento, que não há cristão no mundo que conseguisse adormecer com a cabeça cheia daquele jeito - transbordando ideias. Às vezes é fácil se perder dentro da gente. Ana estava muito chateada, com ela mesma e com todos a sua volta. Sempre exigindo tanto dela, sempre querendo que ela fosse a filha exemplar, a garota perfeita, aquela que serve de modelo para que os outros pais digam a seus filhos, olha como a filha de fulano se comporta. Você tem que ser como ela. Ana estava cansada daquilo tudo.

Ana tinha seus próprios desejos e vontades e acredite não eram nem de longe, o tipo de coisa que 'a garota certinha' deveria fazer, aliás, nem deveria pensar. Ela só queria se sentir livre, pra fazer o que quisesse, e se sentir no direito de errar e aprender com seus erros. Afinal, não é pra isso que erros servem? Ela não queria ser a garota boazinha de que todos se orgulhassem, ela queria apenas que alguém a amasse apesar das suas imperfeições, alguém que conseguisse enxergar além delas e mesmo assim ainda quisesse permanecer a seu lado.

Naquela noite, olhando seu quarto todo certinho e organizado, ela pensou que precisava mudar a decoração dali, algo um pouco mais bagunçado, talvez refletisse melhor o que ela sentia por dentro. Ela queria perder um dia de aula e não dizer aos pais. Ir a uma festa e tomar um porre. Conhecer o cara dos seus sonhos e descobrir que aquilo tudo só durou uma noite e que amores vão e vem. Ela queria descobrir os prazeres da vida, mesmo com todos os erros e acertos, afinal, isso sim é se sentir viva, é viver. Olá senhorita imperfeita, seja bem vinda, já esperei tempo de mais por você, pode ocupar o seu lugar.


Ana não estava na idade de cometer apenas acertos, pelo contrário, estava na idade de errar, e muito. A vida é curta demais pra se viver o tempo todo querendo agradar o mundo, acredite, por mais que você se esforce, essa tarefa será em vão. Pessoas nunca estão satisfeitas.

                                                                                                                            Texto escrito por: 


Me encontrem no facebook


Me sigam no Twitt

Nenhum comentário:

Postar um comentário