21 de dez de 2013

Fuga da normalidade


Acho que é isso que no fundo cada um de nós busca diariamente. Sabe aquela história de buscar a felicidade inconstantemente, dia após dia? É uma farsa. Acho que o que todos buscam mais do que a tal felicidade é a fuga da normalidade. Ninguém nasceu pra ser comum, sabemos que comum, normal, igual, são coisas que seguem um mesmo padrão e que estão destinadas a mesmice e nunca iram ocupar um lugar de destaque, seja na vida, seja no mundo. 

Às vezes pode até soar contraditório, mas ao mesmo tempo em que buscamos individualmente nós diferenciarmos um dos outros, buscamos grupos que tenham modos de pensar e agir semelhante ao nosso. As tribos, como são chamados esses grupos de diferentes e ao mesmo tempo iguais, são formas que encontramos de abraçar a normalidade a nosso modo. Mesmo assim, dentro de si, cada um é cada um.

Claro que existem pessoas que não têm essa necessidade de aparecer, de se destacar, de ter um modo de pensar diferente dos demais, um modo de vestir que seja autêntico e que expresse os ideais que carregamos na nossa mente, que queira ser lembrado, marcante, ou de fazer a diferença em algo. Mas definitivamente eu não faço parte desse grupo. Minha necessidade de expressar as ideias dentro de mim é constante. Ainda não sei a que grupo pertenço, ou aonde eu quero chegar, mais de uma coisa eu sei, eu quero fazer a diferença, nem que seja apenas pra mim mesma.

Vivo essa busca diariamente, me encontro e me perco em várias esquinas. Confesso, sou inconstante, mas é essa inconstância, que me mantém em movimento, em busca, em descoberta. Gosto de livros, de chocolate e de histórias antigas. Mas já gostei de rock, de literatura e de soda. Meus conceitos mudam a cada dia, a cada filme que assisto cada livro que leio a cada linha que escrevo. Ainda não me encontrei, mas entre um parágrafo e outro eu vou traçando a minha personalidade, vou fazendo jus ao meu nome vou riscando sonhos e escrevendo histórias.

O que vale é saber que não importa o caminho que eu faça, o meu destino não está na normalidade, não está na ordem comum, não está na igualdade. Meu destino é ser constante, continua continuada, lembrada. Afinal, eu não nasci pra ser comum.
 Post feito por: Luana

4 comentários:

  1. Concordo contigo, todo mundo hoje em dia tenta seguir um padrão... Deixando de ser feliz! Adorei o texto, você realmente tem talento <333

    www.bellaquebela.com

    ResponderExcluir
  2. Me identifiquei demaaaaais com o texto!
    Tem partes que parece até que sou eu mesma falando, haha. Adorei. :3

    Beijo s2
    www.quaseatoa.com

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente, não entendo o ser humano: Quer ser diferente e ao mesmo tempo ter um grupo de 'igualidade', snif!
    Beijos ~visite o TS~

    teimosasim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Apenas amei seu texto, eu me identifiquei demais com ele, eu praticamente tenho certeza que nasci pra agradar a mim mesma e não os outros.. Me irrita quando alguém tentar mudar minha opinião, ou fala mal do meu cabelo.. São escolhas minhas e acho que ngm tem nada a ver com isso hehe
    Bjss
    Nossa que concidencia, tenho quase as mesmas actions que você hahaha
    Adoro esse efeito que o ruído dá <3
    Bjss
    lovely-utopia.blogspot.com

    ResponderExcluir