19 de jul de 2013

Escrevendo Minha Música

      

   E se eu escrevesse uma canção? Afinal, tenho várias visões sobre o mundo e vários assuntos que gosto de abordar, eu poderia ser polêmico como Madonna foi em 1986 com lançamento de True Blue, iria me sentir orgulhoso de conseguir lançar uma canção tão icônica quanto Papa Don't Preach, uma música sobre gravidez na adolescência, tema tabu na época e até hoje, olha que lindo seria se responsabilizar por uma discussão levantada por organizações contra e a favor do aborto com a igreja católica e nesse embalo eu ainda poderia por algo mais sexual, mas não sensual, nada de provocar e excitar, mas sim discutir as barreiras da sexualidade, derrubar tudo imposto pela sociedade, acabar com essa história de rosa é de menina e azul de menino, isso me lembra o trabalho de Bowie como a persona Ziggy Stardust, um alienígena andrógina que fora enviado para terra só parar alertar a humanidade que o mundo vai acabar em cinco anos! Quanta criatividade.

   Vamos pensar grande, ao invés de querer só escrever uma música, vamos montar logo um álbum inteiro, vamos pensar como Alanis Morissette na construção de Jagged Little Pill, ela pôs toda alma dela naquele projeto, ou melhor toda a raiva relacionada às dúvida, inseguranças e insatisfações de qualquer jovem com 21 anos de idade, eu poderia derrubar as barreiras da sociedade colocando fragmentos da minha vida pessoal, iria ser genial, imagina meu nome sendo aclamado pela crítica especializada! Mas como fazer isso?
   Papel e caneta em mãos, estou pronto para escrever uma canção sensacional... Droga já faz uma hora que eu tô parado esperando algo e nada! Vou fazer como os gênios desse ramo, Alanis falou que estava tranquila enquanto escrevia Ironic, então é disso que preciso, relaxar, relaxar! Preciso de MACONHA! Merda só tenho 15 anos... Tá, maconha NÃO é legal, não é de Deus, vamos beber água... Ah, cacete já fazem duas horas e meia! Deixe-me pensar nas minhas experiências de vida:
   Qual foi coisa mais emocionante que eu já fiz? Com certeza foi pular na cama da minha mãe sem ela saber. Será que dá para construir uma canção sensacional a partir disso? Será que eu preciso viver mais? Claro que não, Lana Del Rey escrevia canções profundamente depressivas aos 13 anos, eu tenho 15, posso fazer isso. Droga, não sou a Lana Del Rey, afinal, no que isso vai dar, por quê eu inventei de escrever uma música, pior, de fazer um disco, eu desisto! Desisto? Peraí, isso pode ser um bom tema, eu posso primeiro construir um disco comercial para depois adquirir fama e respeito o suficiente para seguir com um som mais alternativo, pense nos discos que venderam milhões...

   Lembrando de "desistência" eu posso dá uma de Justin Bieber e re-escrever Never Say Never, iria ser hit na certa! E qual é o ícone pop mais duradouro e consistente dos últimos tempos... Britney Spears! No começo da carreira ela era o anjinho americano, eu posso ser o anjo brasileiro, será que vão notar muita semelhança caso eu grave um clipe num colégio?! Ou poderia mesmo usar roupas esquisitas e dizer que é arte que nem a Lady Gaga, dá uma colorida no cabelo a la Katy Perry também iria ser legal! Eu posso juntar as características mais comercias dos maiores artistas que temos hoje para destruir carreiras!
   Pronto, já tenho uma carreira promissora montada, agora só preciso de um empresário, deixa eu gravar um vídeo para postar no YouTube, no Facebook, no MySpace...

Gente esse texto tá muito sem pé nem cabeça, mas deixe um comentário mesmo assim, por favor :P

2 comentários:

  1. Adorei o texto Cris, estou te esperando no blog com muito carinho para vc responder um tag para nos conhecer melhor,,
    beijo e abraços
    http://sabrinielo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, obrigado, mas o texto é meu, não da Cris, amei seu comentário :)

      Excluir